Construindo resiliência para riscos globais – parte 2

     O Relatório Riscos Globais 2013 apresenta uma ferramenta de diagnóstico, concebida para medir a resistência de um país aos riscos globais por tratá-la como um sistema composto de subsistemas.

     O que faz um sistema econômico resiliente é diferente do que faz um sistema ecológico resiliente (não são apenas diferentes as ameaças e riscos, mas as interconexões com outros sistemas).

    O Relatório apresenta um quadro protótipo para medir a resistência global de um país através de cinco partes, compostas por subsistemas básicos, a saber:

1. Subsistema econômico: inclui aspectos como a ambiente macroeconômico, mercado de bens e serviços, mercado financeiro, mercado de trabalho, sustentabilidade e produtividade.

2. Subsistema ambiental: inclui aspectos como recursos naturais, a urbanização e o sistema ecológico.

3. Subsistema de Governança: inclui aspectos como instituições, governo, liderança, políticas e legislações.

4. Subsistema de infraestrutura: inclui aspectos como infraestrutura crítica (ou seja, comunicações, energia, transportes, água e saúde); e

5. Subsistema social: inclui aspectos como o capital humano, saúde, da comunidade e do indivíduo.

Fonte: WEF, 2013.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: