Energia e Sustentabilidade – parte 3 – final

    Quanto ao Brasil, o Relatório “Energia Sustentável para todos” (Sustainable Energy for All) informa que este ampliou suas energias renováveis cerca de 50% entre 2000 e 2009. Em 2009, diz o Relatório, quase 50% da energia primária produzida pelo Brasil era oriunda de fontes renováveis, a exemplo das hidroelétricas.

     No Dossiê Sustentabilidade, produzido por Ignacy Sachs, publicado na Revista Estudos Avançados, em 2012, quando fala em segurança energética reforça: “podemos mudar para uma matriz de energias alternativas: solar, hídrica, eólica, geotérmica e de biomassa, cada uma com certas vantagens e alguns obstáculos a serem superados. A estratégia energética deve lidar com três questões inter-relacionadas: sobriedade energética, eficiência e, só então, fontes alternativas de energia”.

     O uso de bioenergia requer avaliação cuidadosa do possível conflito entre a produção de alimentos e a de energia – conflito que não precisa existir se resíduos da produção de alimentos forem usados como matéria-prima da produção de energia (etanol celulósico, biogás a partir de esterco de gado etc.), comenta Ignacy Sachs (2012). Acrescenta o mencionado autor que as florestas existentes precisam ser conservadas como sumidouros de carbono, para não falar de seus outros usos econômicos potenciais.

    Em relação ao Ceará, o Blog Verde publicou em agosto de 2012 o tema Fontes Alternativas no Ceará, em 5 capítulos, onde trouxemos as informações sobre as fontes de energia que vêm do sol, do vento, das marés, da água, do lixo, da terra…  É possível acessar os capítulos pelo Blog Verde.

    Assim, neste post colocaremos o resumo das fontes de energia alternativa do Ceará, em 2012, que produzia energia por meio de várias fontes alternativas. A tabela, a seguir, traz as fontes alternativas de energia e em que município estão localizados.

Tipo de fonte alternativa

Nome do empreendimento

município

 

Hidrelétrica

Pequena Central Hidrelétrica (PCH) – Usina Araras Norte

Varjota

 

 

 

Energia eólica

UEE Praia Formosa

Camocim

UEE Canoa Quebrada

Aracati

UEE Bons Ventos
UEE Enacel
UEE Eólica Canoa Quebrada
UEE Lagoa do Mato
UEE Icaraizinho

Amontada

UEE Volta do Rio

Acaraú

UEE Praia do Morgado
UEE Praias de Parajuru

Beberibe

UEE Beberibe
UEE Foz do rio Choró
UEE Paracuru

Paracuru

UEE Taíba-Albatroz

São Gonçalo do Amarante

UEE Taíba
UEE Prainha

Aquiraz

UEE Mucuripe

Fortaleza

Energia solar Usina Solar Tauá MPX

Tauá

Energia das Marés Usina Piloto Coppe/UFRJ

São Gonçalo do Amarante

Energia das plantas Usina de Biodiesel

Quixadá

     Para finalizarmos, importante destacar que os objetivos para uma energia sustentável com base no uso de fontes alternativas de energia não requer uma revolução; mas sim uma transição, uma reforma para direção mais prudente ecologicamente considerada.

     Cabe a cada um de nós, cidadãos, acompanhar esse processo e pressionar os tomadores de decisão que coloquem, na pauta de discussão, planos de desenvolvimento coerentes com a proposta de Energia Sustentável para todos, considerando os riscos ambientais envolvidos em cada uma das alternativas da matriz energética, a exemplo da energia nuclear que, apesar de limpa (em termos de emissão de dióxido de carbono) não é imune ao risco de acidentes improváveis, no entanto devastadores (como Chernobyl e Fukushima).

Fontes: ONU; IEA (Dossiê Sustentabilidade).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: