O mundo que queremos 2015 – Desigualdades

The World We Want 2015O principal objetivo da consulta pública referente a esta temática, pelas Nações Unidas, é estimular a discussão abrangente global sobre as várias formas de desigualdades e apresentar as conclusões para os tomadores de decisão e líderes, no sentido de informá-los a respeito do quadro de desenvolvimento e o cenário pós-2015.

Existem desigualdades dentro e entre os países. Existem também as desigualdades em países desenvolvidos e os em desenvolvimento.

Globalmente, as desigualdades têm aumentado desde 1980. Os resultados preliminares da consulta pública “O Mundo que Queremos” sugerem que as desigualdades resultam das barreiras estruturais nos domínios: econômico, social, político e ambiental. Os resultados mostram também que as desigualdades em si são barreiras estruturais para o desenvolvimento inclusivo.

Os quatro domínios de desigualdades são distintos, mas são fortemente entrelaçados, e tendem a reproduzir as desigualdades ao longo do tempo e das gerações.

Aqueles que são de renda menor (pobres) são mais propensos a experimentar as desigualdades sociais, tais como as relacionadas a gênero, condição de incapacidade, não têm acesso aos meios de vida sustentáveis e, ainda, são mais propensos a serem expostos a danos ambientais. São estes também os menos propensos a ter voz política.

Os resultados preliminares da consulta revelaram que as desigualdades em todas as dimensões devem de ser combatidas de forma eficaz, caso as aspirações expressas na Declaração do Milênio e nos Objetivos do Desenvolvimento do Milênio quiserem ser plenamente realizadas, em base sustentável no quadro pós 2015.

Para abordar as questões de forma eficaz, sugere-se que o quadro de direitos humanos, fundamentado nos princípios da universalidade e da não-discriminação, deve fornecer os padrões normativos para o novo quadro.

Além disso, adotando-se uma estrutura baseada na igualdade, nos direitos humanos e na sustentabilidade, isso implica uma priorização em melhorar a vida dos mais pobres e dos mais vulneráveis em todos os países, por meio de medidas especiais.

 

Fonte: UNDP

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: