Bioma Amazônia – qual a projeção deste bioma para os próximos anos?

     O Primeiro Relatório de Avaliação Nacional (RAN1) do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas informa que o papel da ação antrópica sobre o processo de aquecimento global vem sendo destacados nos Relatórios de Avaliação do IPCC (Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas), que tem por a análise acumulada de grande quantidade de dados observacionais, sobreContinuar lendo “Bioma Amazônia – qual a projeção deste bioma para os próximos anos?”

Vulnerabilidade ambiental para o Bioma Caatinga

     O Primeiro Relatório de Avaliação Nacional, do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas, traz informações valiosas para o enfrentamento dos novos desafios para este século.       O Sumário Executivo, divulgado no último dia 09 de setembro, informa que em virtude do alto grau de vulnerabilidade socioambiental das regiões norte e nordeste do Brasil, asContinuar lendo “Vulnerabilidade ambiental para o Bioma Caatinga”

Bioma Caatinga – qual a projeção deste bioma para os próximos anos?

     O Bioma Caatinga, único e singular no mundo, deverá sofrer com as mudanças climáticas, como está explícito no Sumário Executivo do Primeiro Relatório de Avaliação Nacional, do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas.      Conforme mencionado Relatório, para o Bioma Caatinga espera-se aumento de 0,5º a 1ºC da temperatura do ar e decréscimo entreContinuar lendo “Bioma Caatinga – qual a projeção deste bioma para os próximos anos?”

Primeiro Relatório de Avaliação Nacional – Mudanças Climáticas

    Hoje, dia 09 de setembro, foi divulgado o Primeiro Relatório de Avaliação Nacional, do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas (PBMC), tendo como presidente do Conselho Diretor, o Prof. Dr. Carlos Nobre. A divulgação ocorre na 1a. Conferência Nacional de Mudanças Climáticas Globais, que ocorre em São Paulo de hoje a 13 de setembro.Continuar lendo “Primeiro Relatório de Avaliação Nacional – Mudanças Climáticas”

Clima extremo no Brasil – parte 4 – final

      Com relação às projeções do regime de chuvas, o prof. Alexandre Costa, da Universidade Estadual do Ceará (UECE), um dos autores do capítulo sobre nuvens e aerossóis do Primeiro Relatório de Avaliação (RAN1) comenta a complexidade em realizar projeções das alterações nos níveis de chuva, pois ao mexer, por exemplo, num parâmetroContinuar lendo “Clima extremo no Brasil – parte 4 – final”

Clima extremo no Brasil – parte 3

     Pivetta (2013) informa que a divulgação do Primeiro Relatório de Avaliação Nacional (RAN1) marca a incorporação da ferramenta de projeções no país: o Modelo Brasileiro do Sistema Terrestre (cuja sigla, em inglês, é Besm), que permite simular a evolução dos parâmetros do clima em escala global.      Destaca-se que o modelo brasileiro foiContinuar lendo “Clima extremo no Brasil – parte 3”

Clima extremo no Brasil – parte 2

     Em setembro será divulgado o Primeiro Relatório de Avaliação Nacional (RAN1) do Brasil, que é dividido em três partes. Conforme Pivetta (2013), a primeira parte traz as conclusões de estudos feitos entre 2007 e início de 2013, que demonstram a ocorrência de mudanças climáticas no País.      A segunda parte, informa Pivetta (2013),Continuar lendo “Clima extremo no Brasil – parte 2”

Clima extremo no Brasil – parte 1

     Em texto escrito por Marcos Pivetta, publicado na Revista FAPESP de agosto de 2013, o pesquisador informa que o clima no Brasil do final deste século será, provavelmente, bem diferente do atual.      Conforme Pivetta (2013), nos biomas Amazônia e Caatinga, a quantidade estimada de chuvas pode ser 40% menor. Os brasileiros deverãoContinuar lendo “Clima extremo no Brasil – parte 1”